JÁ FEZ UMA VIAGEM E PASSOU POR UMA SITUAÇÃO ONDE VOCÊ FOI O CLÁSSICO TURISTA ENROLADO? Bom, você não vai ser nem o primeiro e nem o último. Tem uma galera por aí especializada em enrolar turistas e isso acontece porque turista é facilmente enrolado. O malandro vai ver a sua carrinha de gringo e vai tentar levar uma vantagem em cima.

Durante 2 anos viajando pelo mundo nós fomos os turistas enrolados algumas vezes e é claro que com o tempo de viagem aprendemos a lição e ficamos mais atentos. Então decidimos compartilhar as nossas técnicas para você escapar dessas roubadas.

4 DICAS PARA NÃO SER ENROLADO PELO MUNDO

DICA 1 – Use uma referência real de preços

Esqueça o quanto as coisas custam no seu país e não use essa informação como referência no novo país que você está visitando. Talvez US$ 2,50 pareça barato pra um trajeto de tuk-tuk mas você nem se deu conta que está pagando 5 vezes mais. O que você precisa é saber o custo de vida do país que você está visitando e essa deve ser a sua referência para notar quando alguém está querendo te cobrar mais que o normal.

  • Antes de usar um serviço ou comprar uma coisa pergunte a um local o quanto ele costuma pagar. Essa provavelmente vai ser a referência mais real. Essa técnica já nos salvou de pagar a mais muitas vezes.
  • Evite perguntar a pessoas envolvidas com o turismo (o cara da hospedagem, o cara do taxi, o cara do ponto turístico). Em muitos países essas pessoas que lidam com o turismo estão mancomunadas para te passar uma informação que as beneficie.
  • As melhores pessoas para você pedir referência de preço são: um outro cliente que está aguardando pelo serviço, o cara de uma vendinha, alguém que você possa perguntar pela rua. Com o tempo você vai pegando o feeling das fontes mais confiáveis a perguntar.

DICA 2 – Fuja dos taxistas malandros

Seja um taxi ou um tuk-tuk, existe uma classe deles que é especializada em enrolar turistas. Eles sabem que a referência de custos para os turistas é deturpada e podem chegar a te cobrar 5 vezes mais sem você nem notar.

  • Nunca pegue um taxi ou tuk-tuk que estão parados logo ao lado de um local turístico. Esses especialistas em enrolar turistas ficam que nem parasitas nessas áreas aguardando a próxima vítima. Eles vão querer te cobrar mais e se duvidar ainda vão dar um rolê maior. Ande cerca de duas a três quadras pra fora da região turística e você vai ter mais chance de escapar deles.
  • Tente pegar um taxi que está desembarcando locais. Eles geralmente estão fazendo a sua rotina de trabalho normal e não visam enrolar turistas. Você vai ter mais chance de pegar um cara honesto.
  • Se o taxi ou tuk-tuk não tem taxímetro negocie a tarifa antes de pegar o transporte. Para saber a referência de preços use a dica 1. O acordado não sai caro. Uma vez combinado não deixe ele tentar mudar o preço no final. Muitas vezes eles inventam uma desculpa qualquer para aumentar o valor que já estava combinado. Não aceite e pague apenas o que foi acertado.

DICA 3 – Diga não ao local “simpático” que quer te levar até uma hospedagem

Existe um esquema muito comum, na Ásia e na América central principalmente, onde ao chegar em uma cidade, um local “simpático” se oferece para te mostrar uma hospedagem super legal com um preço ótimo. Esses caras têm um acordo com as hospedagens e quando ele leva alguém até lá a hospedagem cobra de 20 a 30% a mais na diária para repassar a taxa de indicação ao cara. Só que o cara nunca te avisa que está fazendo isso e tenta levar na malandragem.

  • Se alguém se oferecer para te indicar uma hospedagem diga não. Fale que você já tem uma.
  • Se ele ficar igual um parasita andando na rua atrás de você e tentar entrar ao mesmo tempo que você na hospedagem, deixe claro na hospedagem que ele não está com você, ou eles podem achar que é uma indicação.
  • Os motoristas de tuk-tuk também fazem esse esquema. Daí você pega o tuk-tuk até a hospedagem, ele entra com você e a hospedagem te cobra a mais. Diz pra ele que você já tem uma reserva e não deixe ele entrar com você na hospedagem.

Dica 4 – Desconfie de locais “prestativos” que te abordam querendo passar informações para “te ajudar”.

Alguém na rua te abordou perguntando o que você está procurando e quando você fala que vai visitar templo X, ele diz que o templo está fechado até as 15hs e sugere que no lugar você faça um outro tour… Blá blá blá… Tudo mentira. Ou alguém te aborda dizendo que é da polícia do turismo perguntando quais locais você pretende visitar no país, inventa que aquela região que você gostaria de visitar está alagada ou interditada e que a única forma segura é usando empresas especializadas… Blá, blá, blá… Tudo mentira.

Pessoas muito pró-ativas que te abordam do nada e começam a passar informações um tanto estranhas, deveriam sim te deixar desconfiado. Prefira sempre verificar as informações que eles passam na internet antes de tomar qualquer decisão. Pois geralmente eles usam essas mentiras para te deixar com insegurança e assim vender tours fechados. Isso rola bastante na Ásia, principalmente na Tailândia.

Você pode não acreditar, mas tem muita gente que cai nessas historinhas. Não é à toa que eles continuam fazendo.


As técnicas para enrolar turistas são das mais variadas e a maioria delas visam apenas tirar uma graninha a mais em cima do turista. Os guias, tipo Lonely Planet, costumam informar os golpes mais clássicos em cada país. Por isso, vale a pena dar uma olhadinha, apenas para ficar atento. Não neurótico. OK?

Mas eu tenho certeza que depois de fazer uma longa viagem pelo mundo você vai estar fera nesses quesitos e vai desenvolver habilidades incríveis para nunca mais ser enrolado. Vai que dá.

Curtiu? Então compartilha!