O VISTO DO JAPÃO SEMPRE FOI UM PROBLEMA PARA O VIAJANTES QUE QUEREM VIAJAR O MUNDO POR LONGO PRAZO. O Japão é um destino que atrai quase todo viajante, por ser uma experiência que te leva pra outra dimensão, mas que em uma viagem longa complica a vida pois é um dos poucos países do mundo que exige que o visto seja tirado apenas no Brasil e com uma validade curta.

Ou seja, como o visto só tem validade de 3 meses, se o viajante não consegue encaixar o Japão logo no início do seu roteiro ele acaba tendo que tirar o Japão do plano. Na minha viagem de 2 anos pelo mundo eu consegui visitar o Japão no meio da minha viagem pois eu tenho cidadania portuguesa. Caso contrário, eu também teria esbarrado no mesmo problema.

Eu descobri recentemente uma solução através de 2 viajantes obstinados que não queriam tirar o Japão do roteiro deles e resolvi ligar para o consulado para entender tudo direitinho. Se você gostaria de ter um visto para o Japão com uma validade maior de 3 meses para turismo existem duas opções:

1- Visto de dupla entrada:

  • Validade – 6 meses.
  • Permanência – até 90 dias (porém a permanência autorizada será concedida conforme o período entre as reservas de passagem).
  • É necessário comprovar renda (cópia da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física com todas as páginas, inclusive o recibo de entrega).
  • É preciso apresentar cópia da reserva de passagem de ida e volta, partindo do Brasil (não precisa ser passagem emitida, apenas a reserva é suficiente).
  • É preciso apresentar um documentos que comprove a finalidade da viagem (cronograma de viagem individual – roteiro escrito pelo próprio passageiro no modelo da Embaixada)

2- Visto de múltiplas entradas:

  • Validade – 3 anos (podendo ser de 1 ano dependendo do motivo de solicitação).
  • Permanência – 90 dias, 30 dias ou 15 dias conforme o perfil do solicitante que será avaliado no momento pelo cônsul.
  • O solicitante deve se enquadrar em um dos casos: (1) ter emprego e renda suficiente; (2) ter visitado o Japão por curta permanência nos três anos anteriores comprovado através de seu passaporte ou (3) ser dependente (cônjuge ou filho (a)) do solicitante, que deve preencher, o requisito do item anterior..
  • É necessário apresentar original e cópia da Carteira de trabalho ou documento que comprove sua ocupação profissional.
  • É necessário comprovar renda (cópia da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física com todas as páginas, inclusive o recibo de entrega).
  • É preciso apresentar carta explicativa sobre o motivo para solicitar o visto de múltiplas entradas.

Observações importantes:

De cara, o visto mais fácil de aplicar é o de dupla entrada, pois ele não exige prova de vínculo empregatício, porém sua validade é de apenas 6 meses. Se você gostaria de uma validade mais longa a única opção seria o de múltiplas entradas, mas tudo depende de quanto tempo de permanência o cônsul vai aprovar para o seu perfil, e certamente a comprovação de renda pode ter uma forte influência nisso. Mas seja qual for a sua opção, abaixo deixo alguns alertas importantes:

  • Se você quer tentar o visto de múltiplas entradas faça isso antes de pedir demissão, para que você consiga comprovar o vínculo empregatício.
  • Não fique tão estressado com a exigência da reserva de passagem. Faça uma reserva através de uma agência ou pela cia aérea diretamente, que dura por alguns dias, e depois você cancela. Esse não precisa ser o voo definitivo da sua viagem. Mas lembre-se que você precisará das reservas para comprovar duas entradas diferentes no Japão, afinal é um visto de dupla entrada. Ex: Você poderia ter uma reserva com voos Brasil – Japão / Japão – China / China – Japão / Japão – Brasil. Se você apresentar reserva com uma entrada eles vão liberar apenas o visto simples com validade de 3 meses.
  • Na hora de fazer a reserva do voo lembre-se que a duração da permanência liberada para o seu visto de dupla entrada estará associada à reserva das passagens. Logo, se você gostaria de ficar 2 meses, lembre-se que as reserva das passagens precisam refletir esse tempo no total.
  • Se você gostaria de ficar até o limite máximo permitido de 90 dias para o visto de dupla entrada lembre-se que a sua comprovação de renda precisa ser suficiente para esse período de viagem , ou provavelmente seu visto não será liberado.
  • Não se preocupe tanto com o roteiro exigido no modelo da embaixada. Ele é simples e mesmo que você queira fazer um roteiro diferente no momento da sua viagem isso não será um problema. Faça um roteiro estimado para a aplicação do visto.
  • Se eles exigirem as reservas de hotel, sugiro que você leia esse post. Existe uma forma muito simples de resolver isso.
  • Se você pretende fazer trabalho em troca de hospedagem para economizar eu sugiro que você não mencione isso na sua carta explicativa do visto de múltiplas entradas. Mesmo não sendo ilegal você pode dar margem para eles encrencarem com alguma coisa.

Veja mais informações no site do consulado do Japão: visto dupla entrada e visto múltiplas entradas.

ViraVolta, Volta ao Mundo, Viagem pelo Mundo, Viagem Longo Prazo, Mochileiros, Sabático, Visto Japão

FICA A DICA

Eu sempre ressalto na ViraVolta a importância de buscar informações o mais atualizadas possíveis sobre vistos, pois com o tempo, tudo pode mudar. Esse post serve para te alertar que pode existir uma possibilidade para o seu problema, mas é fundamental que você confira as regras atualizadas diretamente no site oficial do consulado japonês. E isso serve para qualquer informação sobre vistos que você busca pela web. Cuidado com informações pesquisadas apenas em blogs, pois elas podem estar desatualizadas.

Você desistiu de viajar pro Japão porque acha muito caro? Veja como a ViraVolta pode te ensinar a viajar barato mesmo em países caros.

Vai que dá!

Curtiu? Então compartilha!