SE VOCÊ JÁ ACHAVA QUE NÃO TINHA DINHEIRO PARA VIAJAR O MUNDO POR 1 ANO OU MAIS, COM ESSE DÓLAR NAS ALTURAS AGORA MESMO É QUE VOCÊ ACHA IMPOSSÍVEL. MAS NÃO DESANIME. TEM SOLUÇÃO. Existem várias formas para driblar o dólar alto para viajar o mundo. Mas eu não estou falando de nenhum mágica financeira. É preciso apenas mudar o seu olhar sob a ótica das viagens e abrir a mente para entender que existem várias formas diferentes de se viver essa experiência.

EM CENÁRIO DE DÓLAR ALTO VOCÊ TEM DUAS OPÇÕES

Opção 1: ficar se lamentando porque não tem o dinheiro e que com esse dólar alto fica impossível.
Opção 2: abrir a sua mente para enxergar soluções que permitam que a viagem aconteça de forma bem mais econômica através de escolhas inteligentes.

Afinal, qual opção você pega? Você pode continuar se lamentando enquanto olha as fotos de lugares maravilhosos pelo mundo ou se mexer para viver a aventura mais incrível da sua vida agora e não daqui a 30 anos.

Quando eu estava no Nepal, conheci um francês que viajava com o orçamento de 4 euros por dia. No início fiquei chocada, pensando que eu jamais teria feito aquela escolha. Um momento ele me falou: “Eu tinha duas opções: ficar me lamentando porque não tinha dinheiro para conhecer o mundo e nem fazer muita coisa onde eu morava, ou encontrar uma solução para me aventurar pelo mundo com a grana que eu tinha. Escolhi a opção dois e foi a melhor coisa que eu fiz. Viajar dessa forma não significa viajar sem qualidade, demanda apenas que você se abra para um novo estilo de viagem.” Depois disso comecei a admirar pessoas que fizeram esse tipo de escolha. Hoje, se eu me encontrasse nessa situação eu faria o mesmo.

COMO DRIBLAR O DÓLAR ALTO PARA VIAJAR O MUNDO POR 1 ANO?

Se você escolheu a opção número dois então veja essas dicas sobre como driblar o dólar alto para viajar o mundo agora. Como eu falei não existe mágica financeira, é tudo uma questão de abrir a mente e aprender a fazer escolhas inteligentes.

DICA 1: Escolha um roteiro bem econômico

Ao invés de ficar cismando que quer conhecer os países X, Y, Z e países caros, coloque no seu itinerário somente países de baixo custo. Existem tantos países interessantes para conhecer pelo mundo. Eu te garanto que a sua viagem vai ser incrível de qualquer forma. Você poderia escolher somente países com gastos diários abaixo de 20 USD por dia, como por exemplo Tailândia, Nepal, Índia, Laos, Bolívia, Equador, Quirguistão, Irã, Bulgária, Tunísia… Aqui na ViraVolta você pode baixar uma lista com estimativas de gasto-média dia para mais de 120 países.

DICA 2: Faça um roteiro concentrado

Decidir ficar pipocando de um canto para o outro do mundo deixa a viagem mais cara, pois são os voos de longa distância que pesam muito no orçamento. Então se você concentrar o seu roteiro em determinadas regiões que facilitam o deslocamento por terra e exigem menos voos de longa distância a viagem sai bem mais em conta. Exemplos de viagens incríveis para fazer em um ano em regiões concentradas: Brasil até o México / Sudeste Asiático – Índia – Nepal – China / Norte da África – Oriente Médio – Leste Europeu – Ásia Central / Leste Europeu – Sudeste Asiático… O que não falta são opções.

E para economizar nas passagens você usa um buscador de voos, que vai comparar as melhores ofertas de empresas do mundo todo. O meu preferido e que eu uso desde 2010 é o Momondo, pois é o mais fácil e amigável de usar, além de ter ferramentas muito práticas para encontrar as datas com melhor preço.

DICA 3: Viaje devagar

Eu já tinha mencionado essa dica em 20 dicas para viajar barato pelo mundo e menciono outra vez aqui, pois ela é fundamental. Quanto mais devagar viajamos menos gastamos na média-dia. São mais dias de descanso, mais tempo para descobrir como fazer as coisas mais baratas e menos pressa para chegar nos lugares, o que nos permite gastar sempre o menos possível em deslocamentos (como o exemplo de ir por terra ao invés de voar).

DICA 4: Evite gastos com deslocamento

Existem 3 formas muito econômicas de se deslocar pelo mundo todo gastando muito pouco. Viajar o mundo de bicicleta, pegando carona ou a pé. Viajantes que fazem esse estilo de viagem tendem a ter um gasto média-dia de 10-15 USD apenas, mesmo incluindo países de maior gasto no roteiro. É claro que nem todo mundo está disposto a viajar dessa forma, mas se você tentasse equilibrar seu roteiro e experimentar, isso ajudaria a viabilizar sua viagem com pouca grana. Você poderia fazer parte da viagem de carona para aprender a técnica e viver essa experiência ou poderia fazer parte de bicicleta pra ver como você se sairia. Basta comprar uma bicicleta pelo caminho e adaptar formas de transportar suas coisas, como já mostramos aqui.

DICA 5: Evite gastos com alimentação e hospedagem

Os gastos com alimentação e hospedagem sempre pesam no orçamento, pois eles são diários. Logo, uma boa opção seria fazer trabalhos voluntários em troca de hospedagem e alimentação. A economia colaborativa está bombando, mesmo no segmento de viagens e hoje existem diversas plataformas on-line que ajudam nessa busca. Veja mais detalhes aqui. Nelas você encontra vários tipos de trabalhos diferentes e eles geralmente exigem uma carga horária de 4-5 horas por dia, o que te permite aproveitar o restante do dia. Num país onde o gasto média-dia é de 20 USD, se você eliminar os custos com hospedagem e alimentação sua média-dia já caiu pra menos de 10 USD. Uma outra opção é fazer house sitting, uma modalidade onde você cuida da casa da pessoa enquanto ela viaja. Uma forma de viajar com conforto gastando muito pouco. Essas são ótimas soluções também para os países de custo médio ou alto. Muitos viajantes rodam o mundo inteiro, mesmo países caros, usando essas oportunidades e conseguem gastar bem menos controlando bem a grana. Mas lembre-se que viajar dessa forma é diferente e exige tempo. Não dá pra fazer com correria. O que é perfeito, pois viajar devagar também vai te ajudar a viajar barato.

Eu garanto que se você tentar implementar essas dicas você consegue viajar o mundo com orçamentos bem baixos, que vão de 0 a 20 USD por dia. Planeje e faça as contas.

Lembre-se, viajar por longo prazo não é como viajar de férias e não é uma competição. Não interessa quantos países você vai visitar, o que vale é como você vai viver cada momento da sua jornada. Se preocupe em conhecer pessoas, entrar em contato com a cultura local, se abrir para novas experiências e aproveitar o seu tempo para refletir e relaxar… Nessa aventura pelo mundo o que conta não são as fotos mais bonitas, nem quantas coisas você viu… O que vale aqui é o aprendizado e a capacidade de se auto-conhecer e se transformar. Esse vai ser o maior benefício da sua experiência.

Vai que dá! Mesmo com dólar alto.

POLÍTICA DE TRANSPARÊNCIA

Esse conteúdo foi desenvolvido em cooperação com a Momondo, o buscador de voos preferido e recomendado pela ViraVolta. Esse apoio ajuda a manter o projeto vivo para que mais pessoas sejam beneficiadas e explorem o mundo.

Créditos foto de capa: Reuben Ingber via Flickr

Curtiu? Então compartilha!