ESSA TAMBÉM É UMA DAS MAIORES DÚVIDAS PARA VIAJANTES DE LONGO PRAZO. Afinal não é como viajar de férias e durante a viagem você vai lidar com várias moedas diferentes, o que torna essa questão um pouco mais complicada. Nesse capítulo vamos clarear suas idéias.

CLAREANDO A IDÉIA #1: COMO LEVAR DINHEIRO PARA UMA VIAGEM LONGO PRAZO
CLAREANDO A IDÉIA #2: A CONTA BANCÁRIA IDEAL PARA VIAJAR O MUNDO
CLAREANDO A IDÉIA #3: COMO CONTROLAR O DINHEIRO NA VIAGEM
CLAREANDO A IDÉIA #4: OUTRAS DICAS PARA USAR BEM O SEU DINHEIRO

Pra você que mora no Brasil, as opções não são tão felizes. Pois no início de 2014 as taxas de IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros) em todas as formas de pagamento no exterior aumentaram para 6,38%, excluindo dinheiro vivo, que permanece com 0,38%.

Na época da nossa viagem a situação era bem mais vantajosa, mas para tentar ajudar futuros viajantes nós investigamos todas as opções no Brasil (com IOF de 6,38%) e as opções fora do Brasil (para tentar reduzir o impacto do IOF). Lembre-se que estamos avaliando aqui as opções para uma viagem de longo prazo, onde será feito o uso de várias moedas diferentes. Não estamos avaliando uma viagem curta de férias, o que pode mudar o cenário.

Abaixo colocamos a nossa opinião do que acreditamos funcionar melhor e logo depois descrevemos todas as opções, com vantagens e desvantagens, caso você queira investigar mais a fundo.

Nossa opinião

Até pouco tempo atrás era possível tentar abrir uma conta fora do Brasil pelo HSBC. Mas o banco está em processo de venda aqui no Brasil. Quem ainda quiser tentar precisa fazer rápido. Veja as dicas aqui sobre como abrir uma conta fora do Brasil pelo HSBC?. Dizem que é possível também pelo Banco do Brasil, mas ainda preciso investigar mais essa opção.

Mas pra maioria das pessoas não vai rolar abrir uma conta fora e vamos ter que engolir o IOF alto do Brasil. Vamos pensar em uma viagem de 1 ano. Se você pretende gastar R$ 40.000,00 para uma pessoa isso significa que você vai ter R$ 2.552,00 de IOF. Aceite o fato e considere no seu orçamento. Você mora no Brasil e é assim que funciona por aqui.

O mais indicado é um mix:

  • Cartão de crédito: concentre suas reservas pela internet e o máximo possível de gastos nele para poder acumular pontos e trocar por milhas, pois não existe nenhuma taxa extra para compras internacionais, apenas o IOF de 6,38%. Mas lembre-se que o câmbio será sempre o do fechamento da fatura. Se o seu banco oferecer o cartão sem anuidade, melhor ainda. Fique atento, muitos locais em países subdesenvolvidos cobram taxas extras para pagamento em cartão.
  • Cartão de débito: use apenas para sacar moeda local e ter sempre dinheiro com você. O ideal seria ter uma conta que não cobre taxa para saque internacional, daí você estará sujeito apenas à possíveis taxas do caixa eletrônico fora e ao típico IOF de 6,38%. Vale ressaltar que em muitos países subdesenvolvidos não é possível pagar com cartão e que a maioria de hotéis e restaurantes baratos só aceitam pagamento em dinheiro. Você vai precisar ter sempre moeda local com você.
  • Dinheiro trocado em casa de câmbio: leve apenas uma pequena quantia em dólares para emergências e uso em fronteiras (US$ 250,00 por pessoa já seria suficiente)

SE LIGA! A grande diferença vai estar no banco que você escolher, com vantagens para uso internacional e com o mínimo de taxas possível. E é isso que vamos explorar no próximo item desse capítulo.

O cartão pré-pago não é interessante para uma viagem de longo prazo, pois vai ter taxa para saque de qualquer jeito, você vai ter que carregar em dólar para depois ficar convertendo para várias moedas diferentes (o que acarreta em taxas altas pelas operadoras), não dá pra usar em compras e reservas na internet, o IOF é o mesmo e você ainda vai ter que ficar se preocupando em fazer as recargas. Furada total!

FICA A DICA

Não adianta se estressar tanto com o câmbio em uma viagem longa. Não temos como prever o mercado em um período tão longo. O câmbio vai alterar durante a viagem e você vai ter que arriscar. Coloque todas as suas economias em um bom investimento seguro (se você não tem perfil para investimentos mais arriscados) e de tempos em tempos passe quantias para a sua conta corrente. Você vai pagar IOF mas pelo menos tenta ganhar um pouco com o rendimento do investimento.

Atenção: seja o cartão de crédito ou débito, toda vez que você faz um gasto em moeda internacional diferente do dólar, o câmbio será feito duas vezes: primeiro da moeda local para dólar e depois de dólar para real. Outra razão para a conta fora do país ser mais vantajosa, uma conta em dólar ou euro fará sempre a conversão direta dos seus gastos durante a viagem.

Veja ainda em dicas de Segurança os cuidados recomendados com os seus cartões durante a viagem.

Opções no Brasil

ViraVolta: Opções no Brasil

Opções no Exterior

ViraVolta: Opções no exterior

Na época da nossa viagem nós mudamos a nossa conta para o HSBC somente por conta da viagem. Mas fizemos uma conta HSBC premier, pelos benefícios que ela oferecia. Nós tivemos uma experiência perfeita em 2 anos pelo mundo, mas infelizmente o HSBC vai fechar suas operações no Brasil.

Na hora de avaliar qual banco você deveria usar durante a sua longa viagem, use essa lista abaixo como referência para identificar quais vantagens o seu banco oferece para uso internacional.

Importante: contas normais de qualquer banco dificilmente terão benefícios tão interessantes, principalmente para uso internacional. Geralmente somente as contas especiais oferecem benefícios melhores.

ViraVolta: Conta bancária

OBS: Nós já tivemos conta no Santander e Itaú (contas normais e especiais – Van Gogh e Personnalité) e sempre usamos em viagens. O Santander é sofrível e jamais recomendaríamos, o serviço é ruim, não é nada competitivo em benefícios e isenção de taxas e eles praticamente não entendem de serviço internacional. Se você tem uma, considere seriamente em mudar! O Itaú já tem um serviço bem melhor, inclusive na parte internacional.

Dinheiro voa e se você não ficar atento, vai voltar antes pra casa! Além disso, nos 2 primeiros meses temos a tendência a achar que estamos de férias e é normal gastar mais que o previsto com toda a empolgação. Você provavelmente já fez o planejamento financeiro da sua viagem e sabe o quanto pode gastar. Exercite o controle do seu dinheiro desde o primeiro dia e faça a sua viagem durar. Principalmente se você é um viajante de orçamento apertado.

Aqui ensinamos como controlar o seu dinheiro de forma rápida e prática. Esqueça a idéia de que você precisa anotar cada pequeno gasto do seu dia. Isso é chato, trabalhoso e as pessoas não seguem. Em uma viagem dessas não importa o detalhe com gasto em comida, para dormir, transporte, etc… O que vale é o seu gasto médio diário. É isso que vai indicar a boa administração do seu orçamento.

Faça um controle por esquema de fluxo de caixa, com registro de entradas e saídas de dinheiro.

ViraVolta: Fluxo De Caixa

Faça esse controle para cada novo país visitado e você vai conseguir controlar facilmente sua média-dia.
Parece complicado mas não é. Veja o exemplo abaixo, você só precisa registrar as células em azul, o resto sai pelos cálculos. O que importa pra você é a coluna vermelha, indicando se sua média-dia vai bem.

CONTROLE DO ORÇAMENTO DE VIAGEM

ViraVolta: Planilha de controle de gastos

Para que esse controle funcione bem lembre-se:

  • Defina uma meta de média-dia por país por pessoa
  • Faça o controle de gastos por cidade ou a cada 3-6 dias
  • Não fique muito tempo sem fazer o controle, tudo fica mais difícil e você perde a noção
  • Guarde sempre os comprovantes de saque e de gastos no cartão até o dia do próximo controle (depois você pode eliminar)
  • A cada novo país registre um novo saldo inicial na moeda local
  • Controle os gastos excepcionais (ex: salto de paraquedas, passeio de balão) e voos internacionais de alto valor a parte, pois eles distorcem muito a média-dia

FICA A DICA

Se você é do tipo que odeia controlar e quer aproveitar a vida sem fazer contas, então relaxe. Se o dinheiro acabar antes você não precisa voltar mais cedo pra casa. Vai arrumando trabalhos pelo caminho. Veja as nossas dicas sobre trabalho na viagem.

Reduzindo taxas com saque – se o seu banco cobra taxa por saque internacional ou se o caixa eletrônico está te cobrando uma taxa, saque o seu limite diário (ex: US$ 500,00) de uma vez, pois não vai valer sacar aos pouquinhos.

Encontre o melhor caixa eletrônico para o seu cartão – geralmente o caixa eletrônico informa que vai cobrar uma taxa antes de finalizar o saque, teste vários bancos diferentes para ver se algum deles não cobra essa taxa com o cartão do seu banco. Existem diferentes alianças mundiais. Com o nosso cartão de débito do HSBC Premier nós conseguimos escapar dessas taxas na maioria dos países.

Escolha onde usar o caixa eletrônico – evite usar caixas eletrônicos em hotéis, loja de conveniência, etc… Eles são práticos e funcionam 24 horas mas por isso mesmo podem ter uma taxa de câmbio muito ruim. Prefira os caixas em bancos.

Não troque dinheiro no aeroporto – as casas de câmbio do aeroporto sempre tem as taxas mais altas. Fuja delas!

Confirme antes de pagar com cartão de crédito – É comum em países subdesenvolvidos que o lugar cobre uma taxa extra para pagamento em cartão de crédito, confirme antes de pagar.

Use o cartão de crédito sempre na moeda local – algumas máquinas reconhecem um cartão internacional e perguntam se você quer ser cobrado na moeda local ou na moeda do seu país. Escolha sempre a moeda local, pois as taxas de conversão geralmente são altas.

Gerenciando seu estoque de emergência em dinheiro – se o seu estoque de emergência em dólares estiver acabando existem vários países que permitem sacar dólares do caixa eletrônico e você pode repor a diferença. Como no Camboja, Rússia, Equador, México…

Administre bem o dinheiro nos últimos dias em cada país – evite ficar com muito dinheiro sobrando antes de sair do país, administre bem o dinheiro nos últimos 3 dias, principalmente se você precisar realizar um saque. Assim que cruzar a fronteira, tente trocar o que sobrou imediatamente, principalmente se for uma moeda de baixa aceitação.

Fique esperto!

Planeje o orçamento da sua viagem, controle seus gastos e prolongue a sua aventura. Não deixe de ler os post desse capítulo com mais dicas para usar o seu dinheiro de forma inteligente. Leia também os próximos capítulos e vamos tirar todas as suas dúvidas.

Existe alguma dúvida que ainda não conseguimos responder?Então deixe um comentário lá embaixo da página e contribua para melhorarmos o conteúdo. Vamos esclarecer tudo. A sua dúvida pode ser a dúvida de outros viajantes. Colabore!

ÚLTIMOS POSTS

Um guia completo para viajar barato pelo mundo.

Curtiu? Então compartilha!

O que você acha? Escreve aí pra gente!