Você tem o hábito de falar com estranhos? Se você vai viajar pelo mundo esse é um dos melhores hábitos para criar. Conhecer pessoas pelo caminho é uma das melhores partes dessa experiência e mesmo pequenas conversas podem marcar sua vida.

Se você está sentado no banco de um parque ao lado de uma pessoa, puxe conversa com ela. Se você foi experimentar a comida caseira daquele restaurante pequenino de 3 mesas da tiazinha, puxe conversa com ela. Faça perguntas, se mostre interessado pela vida e pelos pensamentos de pessoas que cruzam o seu caminho. Cada olhar, cada sorriso, cada marcas no rosto, carregam histórias que podem te encantar.

Algumas histórias de vidas são tão interessantes que fazem você repensar e questionar a sua própria forma de pensar e de viver. Essas pessoas que cruzam o seu caminho aparecem com pontos de vistas completamente diferentes dos seus, vindos de outras realidades, outras culturas… E escutar o ponto de vista delas amplia a sua visão.

Tantas pessoas cruzaram a minha vida nesses 2 anos com histórias incríveis que dava até para escrever um livro e várias delas me impressionavam e de alguma forma me fizeram repensar. Entender sobre a vida do beduíno e porque ele preferia viver nas cavernas de pedra da Jordânia e não nas casas de alvenaria que o governo o obrigou a viver, conhecer a história do alemão que ficou um ano na Índia se espiritualizando e como aquilo tinha mudado sua vida, conhecer e entender a simplicidade de uma família dos povos das montanhas no Vietnã e porque eles não tinham todas necessidades que nós temos na nossa vida moderna, conhecer o americano que sofria de depressão e como ele mudou sua vida viajando o mundo, conhecer o casal de espanhóis que largaram suas vidas estáveis e confortável para viver uma vida sazonal que lhes permitia viajar 6 meses por ano…

Eu podia ficar listando inúmeras interações. Esse era um dos maiores prazeres que eu tinha, conversar com estranhos e escutar as mais diferentes histórias. Na verdade, essas situações podem acontecer no nosso dia-a-dia normal, pois cruzamos centenas de pessoas todos os dias. A questão é que aqui, “na vida real”, estamos sempre com tanta pressa que acabamos nos fechando. Não temos tempo pra nada, quem dirá para falar com estranhos. Viajar o mundo nos oferece uma coisa preciosa: TEMPO. E usar parte desse tempo para conversar com estranhos é uma ótima opcão.

Você lembra de um encontro marcante que mudou sua vida? Aquela conversa que por mais que tenha durado pouco de alguma forma fez você repensar. Por que não fazemos mais isso no nosso dia-a-dia?

Curtiu? Então compartilha!