Pra você que segue a ViraVolta deve ter notado que tudo ficou parado nesse último ano. Mas por uma boa razão. Minha filha nasceu no dia 29 de junho de 2016 e eu escolhi que queria cuidar integralmente dela nesse primeiro ano de vida, que é tão importante pra ela e que é um tempo que nunca mais vai voltar para nós duas. Quando eu estava viajando o mundo uma das decisões importantes que eu tomei era que eu queria um estilo de vida que me permitisse oferecer tempo de qualidade para a minha família e meus filhos, uma realidade que eu nunca teria no meu estilo de vida antigo trabalhando 12 horas por dia e sempre estressada. Hoje, me sinto privilegiada de ter me dedicado exclusivamente a ela nesse período.

Vejo as pessoas tão desesperadas com o tempo, querendo fazer tudo o mais rápido possível, se matando de trabalhar sempre em busca de mais dinheiro… Uma corrida para ter mais, crescer mais, fazer mais, tudo mais… Mas que no final oferece menos a qualidade de vida, menos tempo com as pessoas queridas, menos sentido na vida, menos propósito.

Vivemos num ritmo acelerado e nem temos tempo para requestionar as coisas. Mas às vezes é preciso P-A-R-A-R!!!! Parar nos permite desacelerar, reorganizar as idéias, refletir, ampliar a visão de tudo a nossa volta, para então podermos requestionar. É um tempo precioso que pode mudar pra sempre uma vida. Pode te ajudar a sair de um modo programado e de cegueira para um modo ativo e consciente em busca do que queremos de verdade, do que faz mais sentido. Não importa por quanto tempo você para, o que vale é a qualidade desse momento de parar tudo.

Quando eu parei tudo para viajar o mundo por dois anos, aquela experiência mudou pra sempre a minha vida. Pois mudou a minha visão de mundo, me deu um profundo auto-conhecimento, me deu coragem e me ajudou a redefinir o estilo de vida que fazia mais sentido pra mim.

Agora, quando a minha filha nasceu, eu parei tudo novamente. E essa experiência de ser mãe, que também foi transformadora, e esse tempo afastada da ViraVolta, me permitiu novamente refletir sobre o caminho das coisas.

A ViraVolta surgiu de um sonho e um propósito muito claro que eu tinha de ajudar outras pessoas que se viam aprisionadas em estilos de vida que não faziam mais sentido, a se transformarem e encontrarem novos caminhos para suas vidas através da experiência de uma longa viagem. Pois eu acredito que viajar o mundo transforma as pessoas e as pessoas transformam o mundo. Ela nasceu e cresceu de forma orgânica e meu objetivo nunca foi ganhar muito dinheiro com isso. Aliás, quando eu criei a ViraVolta nem sabia como ia conseguir viver dela. Mas eu acreditava muito na idéia e queria tentar. À medida que ela crescia eu percebia necessidades diferentes que as pessoas tinham e criava soluções para atender essas necessidades. E a ViraVolta pegou seu ritmo e tudo foi se desenvolvendo sem muita reflexão.

Nesse um ano parada com a minha filha muitos questionamentos vieram à minha cabeça. Como posso ajudar mais pessoas sem deixar essa possibilidade de transformação através de uma viagem tão distante delas? Como posso chegar nas pessoas que estão no momento de maior crise existencial da vida delas e nem sabem que essa experiência pode ser uma boa forma de recomeçar? Como posso ajudar mais pessoas a realizarem seus sonhos estando em qualquer lugar do mundo? Como eu posso garantir que as pessoas vão de fato mudar suas vidas de forma significativa se elas se sentirem perdidas em algum momento da jornada? Como eu posso ajudar pessoas que não conseguem se ver longe por tanto tempo dentro desse conceito de uma viagem transformadora? São muitas perguntas… E mais uma vez eu percebi como é fácil a gente se fechar em um novo modo programado, de fazer as coisas sem questionar nada. Me senti mais uma vez cega e presa dentro das minhas próprias idéias, quando o mundo à minha volta estava tentando me mostrar tantas coisas que eu nem notava mais.

Como foi bom parar por esse tempo. Pra mim e pra ViraVolta. Pensar em todas essas coisas me trouxe novamente muita excitação e me trouxe mais clareza sobre o meu propósito. Hoje, dia 1º de Agosto, é oficialmente o primeiro dia que eu volto a trabalhar na ViraVolta, cheia de novas idéias e pronta para rever tudo.

Mas começo devagar, sem toda essa pressa do mundo à minha volta. Ainda quero cuidar da minha filha e vou começar dividindo o meu tempo, respeitando também a evolução dela em conexão com o mundo à volta dela. Aos poucos a ViraVolta vai voltando à ativa aqui no site e nas redes sociais. Pouco a pouco as novas idéias vão tomar forma e vão me permitir ajudar ainda mais pessoas em busca de novos caminhos para as suas vidas.

PS: Aproveito esse post para pedir desculpas a todas os comentários aqui no site que nunca tiveram uma resposta, ou algum e-mail que eu demorei muito para responder, ou qualquer outra questão do site que não funcionou bem durante esse período. Eu estava 100% inserida na minha missão recém mãe.

 

Curtiu? Então compartilha!