E SE VOCÊ PUDESSE SER PAGO PARA TRABALHAR DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO? Essa é mais ou menos a proposta do projeto Remote Year, criado pelo americano Greg Caplan, que acredita que qualquer trabalho que possa ser realizado de uma mesa, pode ser realizado remotamente. Ele diz que essa é uma evolução natural e que depende apenas de uma mudança cultural. Cada vez mais empresas oferecem posições remotas.

Para lançar o conceito, o projeto lançou um programa, onde 100 pessoas serão selecionadas para viajar e trabalhar remotamente por 1 ano, visitando 12 países diferentes. O objetivo é que os participantes fiquem 1 mês em cada país, tendo a oportunidade de interagir com cada cultura. Mas o programa não será totalmente livre. Eles vão organizar toda a parte de logística e acomodação e todos farão o mesmo itinerário, que começa no dia 1º de junho de 2015.

Basicamente, qualquer experiência e especialidade poderá ser aceita. A seleção vai depender dos requisitos buscados pelas empresas parceiras do programa, que oferecem as vagas.

Mais detalhes sobre o programa:

Itinerário: 1) Praga, República Checa 2) Ljubljana, Slovênia 3) Dubrovnik, Croácia 4) Istanbul, Turquia 5) Penang, Malásia 6) Koh Tao, Thailândia 7) Hanoi, Vietnã 8) Kyoto, Japão 9) Buenos Aires, Argentina 10) Mendoza, Argentina 11) Santiago, Chile 12) Lima, Peru.

Requisitos: ter mais de 23 anos, falar inglês (ao menos para se comunicar), tanto pessoas atualmente empregadas quanto desempregadas serão aceitas.

Especialidades: desenvolvedor, designer, gerente de produto, gerente de projeto, especialidade técnica, empreendedor, marketing, vendas, gerenciamento, desenvolvimento de negócio, gerente de conta, serviço ao consumidor, jornalista, consultor, artista, enfermeira, médico, advogado, estudante, desempregado, outros.

Quanto custa: o programa não é gratuito. Existe um valor mensal de 2 mil dólares mais um depósito de 3 mil dólares para reservar a sua vaga, que deve ser pago pelo participante para cobrir todos os custos da viagem. Considere esse valor como um custo de vida durante a viagem. Como o participante terá um trabalho remunerado, esses custos deverão ser cobertos pelo salário. Porém o participante só vai conseguir avaliar a proposta uma vez que ele for aceito e receber uma proposta oficial de trabalho remoto de uma das empresas associadas ao programa.

Como aplicar: se inscreva para uma vaga aqui

A remuneração ainda não foi oficializada e pode variar de acordo com a vaga e empresa contratante. Porém, independente do valor anunciado, se você sempre sonhou em ser um nômade digital, fazendo algo que você gosta, essa pode ser uma oportunidade perfeita pra você aprender como funciona e praticar.
Se essa é a sua onda, se inscreva e não perca essa.

Crédito foto de capa: Remote Year

Curtiu? Então compartilha!