A volta da viagem

A VOLTA DA VIAGEM… AH, ESSE TÓPICO DA UM BAITA FRIO NA BARRIGA DE QUEM ESTÁ PLANEJANDO UMA LONGA VIAGEM PELO MUNDO. E pior, muitas vezes é justamente isso que vai impedir tantas pessoas de realizar esse sonho, pois elas simplesmente não conseguem viver com a incerteza do que será a volta. Mas nós vamos passar algumas dicas pra te ajudar e lidar com esse sentimento.

DICA #1: POR QUE VOCÊ DEVERIA RELAXAR
DICA #2: COMO SE PREPARAR FINANCEIRAMENTE
DICA #3: VOLTAR PODE SER LEGAL

  • Relaxa
  • Como se preparar
  • Pode ser legal

Entendemos exatamente o que passa pela sua cabeça nesse momento e o medo que esse sentimento sobre a volta pode trazer. Afinal, somos seres humanos e queremos sempre tomar as decisões mais acertadas. Mas a verdade é que não existe tal controle sobre a vida. Não temos tudo sob controle, por mais que a gente “acredite” nisso. O que parece seguro e certo agora pode mudar da noite pro dia e o que parecia tão incerto e assustador pode trazer grandes surpresas para a sua vida.

É natural que você pense sobre isso mas não deixe esse sentimento te travar. Até porque nada está definido e até a sua aventura acabar muita coisa pode mudar. Você nunca vai ter todas as respostas, mesmo pra o futuro atual, que pra você pode parecer muito certo e seguro. Pense de ângulos diferentes:

  • Quem disse que você vai querer voltar?
  • Quem disse que você vai querer continuar fazendo o mesmo que fazia antes?
  • Quem disse que você vai querer as mesmas coisas que queria antes?
  • Quem disse que a viagem não vai te mostrar um novo caminho?
  • Quem disse que você não vai voltar mais seguro e ainda mais preparado para o mercado?
  • Quem disse que a sua carreira não pode ficar ainda melhor que antes?
  • Quem disse que você não vai descobrir uma nova forma de fazer o que você já gostava antes?

Viajar o mundo tem a incrível capacidade de abrir a mente, mostrar novos horizontes, novas formas de se fazer as coisas e ampliar a visão que você tinha dos caminhos a seguir em sua vida. É exatamente sobre isso que falamos no nosso MANIFESTO e por isso acreditamos que viver essa experiência só pode trazer boas coisas para a sua vida.

Pense assim, se tudo o que você conquistou até agora veio do seu próprio esforço e não por pura sorte, porque então você acredita que não conseguiria se virar na volta? Você realmente acredita que você vai cair na rua da amargura, passando fome e sem um teto pra dormir? Me poupe. Menos drama. Qualquer pessoa instruída, interessada e esforçada consegue se virar hoje em dia pra se sustentar. Sabe o que eu pensava no meu caso? “O máximo que vai acontecer é eu arrumar um emprego que me pague menos do que eu já ganhava.” Mas e daí? Depois eu conquisto meu lugar outra vez, afinal, eu sei que eu sou capaz.

O melhor que podemos dizer é: não pense tanto sobre a volta agora. Relaxe, aproveite, se abra para o mundo, viva 100% sua experiência, sugue toda a energia que ela vai te oferecer e o seu caminho na volta vai se moldar naturalmente. Se você se empenhar e focar no que quer de verdade, claro.

Pra você que tem tanto receio sobre a volta, entender como sair da sua zona de conforto é fundamental. Por isso, não deixe de ler esse post e ver o vídeo: Você ousa sonhar? Então se prepare para sair da sua zona de conforto.

Quando viajamos pelo mundo ficamos impressionados com quantas pessoas viajavam até gastar o último centavo e quando voltavam pra casa arrumavam qualquer emprego para ajustar as suas finanças. Mas é claro que existem pessoas com um perfil bem mais conservador, que nunca vão querer viver a experiência dessa forma. Para essas pessoas, nós recomendamos que ela faça um planejamento financeiro para a volta. 

Como funcionaria?

  • Calcule o seu gasto mínimo mensal aqui no Brasil (não pensando no seu estilo de vida atual, mas em um estilo de vida mais econômico, para que o plano seja mais viável)
  • Preveja esse gasto de 6 meses a 1 ano

Dessa forma o seu plano de economias para realizar a viagem deveria incluir:

ORÇAMENTO TOTAL DA VIAGEM + ORÇAMENTO DA VOLTA = VALOR TOTAL A ECONOMIZAR

Quais as vantagens de se preparar financeiramente para a volta?

  • Você consegue ir se adaptando ao seu estilo de vida na volta, sem o desespero te ter que arrumar qualquer emprego as pressas para sobreviver.
  • Você consegue dar mais tempo ao seu corpo, para que ele possa digerir tudo o que aconteceu e se preparar para os próximos passos da sua vida.
  • Se você decidir seguir outro caminho na sua vida, bem diferente do emprego que você tinha antes, você terá uma folga financeira para ter tempo de implementar o novo caminho.
  • Se você decidir investir em um negócio próprio essa grana pode te ajudar a lançar sua idéia.

Nós temos esse perfil mais conservador e nós fizemos um plano de economias para a volta. No meu caso foi a melhor coisa que eu fiz, pois após a minha viagem eu decidi que não queria mais me inserir no mercado de trabalho padrão e que investiria nas minhas idéias. Resultado, eu ainda não ganho nada com elas e estou sobrevivendo das minhas economias. A viagem me ensinou a viver de forma mais simples e mais econômica e o dinheiro que eu guardei está durando muito mais tempo que eu tinha previsto e eu ainda uso parte dele para investir nas minhas idéias. Muitos amigos ainda acreditam que o meu dinheiro da filhote, mas isso é porque eles ainda não realizaram que na verdade é o estilo de vida deles que é muito caro.

É engraçado como muitas pessoas acham que voltar de uma longa viagem pelo mundo pode ser extremamente depressivo. Mas vamos desmitificar alguns pensamentos:

  • Não é verdade que todas as pessoas que viajam o mundo não querem mais parar de viajar.
  • Não é verdade que todas as pessoas que viajam o mundo não querem mais trabalhar.
  • Não é verdade que todas as pessoas que viajam o mundo que viajam o mundo vão odiar fazer o que fazia antes.
  • Não é verdade que quem viaja o mundo não consegue mais se adaptar aos padrões da sociedade.
  • Não é verdade que todos que voltam de uma longa viagem se sentem deprimidos.

Depois de conversar com muitos viajantes de longo prazo, entendemos que duas questões interferem diretamente na satisfação da volta:

QUESTÃO #1- SAIBA A HORA DE PARAR: as pessoas querem coisas diferentes e cada corpo sente as experiências de forma diferente. Algumas pessoas vão querer viajar pro resto da vida e outras não. O que vale é a pessoa saber interpretar os sinais do seu corpo. Se o seu corpo diz que não quer parar, você não deveria parar, mesmo que você tenha que se virar nos 30 para continuar bancando a viagem. Pessoas que decidem voltar sem o corpo querer tendem a se sentir mais deprimidas na volta.

QUESTÃO #2- SEJA HONESTO COM AS SUAS ESCOLHAS NA VOLTA: a viagem vai te trazer um profundo auto-conhecimento e vai mostrar novos caminhos e novas formas de ver a vida e o mundo. Esses aprendizados impactam em decisões sobre os valores e estilo de vida que você deseja pra você. A viagem pode te mostrar que você de fato gostava do que fazia antes e deseja seguir daquela forma, ela pode mostrar que você gostava do que fazia mas deseja aplicar de uma forma diferente em sua vida ou ela pode mostrar que você deseja seguir um caminho completamente diferente do estilo anterior à viagem. Não importa qual seja o seu caso, se você fizer escolhas sinceras com os seus sentimentos você vai se sentir feliz, independente das dificuldades que você tenha que superar para realizar eles, pois você acredita que aquilo é o mais certo pra você. Agora, se você não tiver segurança suficiente para assumir suas escolhas sinceras e decidir ir pelo caminho “mais fácil” pra você, existem grandes chances de você se sentir rapidamente deprimido. Pois as sensações e aprendizados da viagem que te mostraram um caminho diferente como o mais ideal vão te assombrar por um bom tempo.

É comum que muitas pessoas sejam impactadas pelas 2 questões acima. Pois pessoas que param de viajar antes do corpo sentir que é o momento certo de parar geralmente não têm coragem suficiente para assumir suas escolhas sinceras, e por isso, podem sim se sentir fortemente deprimidas. Essas duas questões estão fortemente interligadas e podem interferir nos seus sentimentos da volta. Se você respeitar essas duas questões e decidir voltar, pode ser maravilhoso!

O nosso caso

A gente ia viajar por 1 ano só e acabamos viajando 2 anos. Isso foi fundamental pra nossa satisfação. Quando decidimos parar era porque a gente queria e não por que nos sentíamos obrigados. No meu caso, o meu auto-conhecimento me mostrou que eu deveria seguir um caminho completamente diferente do anterior à viagem. Respeitar o meu corpo para parar no momento certo influenciou diretamente na coragem para assumir minhas escolhas. Eu me lembro muito bem das minhas sensações. Se eu tivesse parado a viagem com 1 ano acho que eu não teria forças suficientes para mudar o meu caminho e provavelmente a ViraVolta nem ia existir. A minha coragem para assumir as escolhas verdadeiras da minha vida veio depois de 1 ano e 3 meses de viagem e somente quando a gente estava com 1 ano e 8 meses de viagem é que eu comecei a visualizar melhor o que queria fazer e que eu estava preparada e animada pra voltar.

Tempo de adaptação

Outra questão importante para avaliar na volta é o tempo de adaptação. Você vai estar saindo de uma realidade de extrema liberdade para a voltar a viver num formato padrão da sociedade. É comum que no início a gente se sinta extremista, incomodado com muitas coisas e até mesmo chocado com coisas que antes pareciam normal pra gente e agora não parecem mais. Mas a verdade é que é possível sim achar um equilíbrio para aplicar aprendizados que você teve durante a viagem em harmonia com uma sociedade padrão. A viagem vai ensinar que você não precisa viver dentro daquele padrão se você não quiser, mas é preciso ser tolerante e abrir sua mente para encontrar o equilíbrio. Só que isso não vem da noite para o dia e o período de adaptação é fundamental. Não faça essa brutalidade com o seu corpo, de colocá-lo diretamente na rotina agressiva padrão da sociedade sem ele ter nem tempo de respirar e digerir tudo o que aconteceu. Por isso, se preparar financeiramente para a volta (conforme falamos na aba anterior) pode ser uma boa.

Não existem regras para essas coisas, pois estamos falando de pessoas e sentimentos, e cada um tem uma forma diferente de reagir. Mas o que descrevemos acima é uma forte sensação que temos baseada em nossa própria experiência e as de outros viajantes de longo prazo que conhecemos.

FICA A DICA

Antes de realizar a minha viagem eu fui encontrar com uma ex diretora de maketing que tinha viajado o mundo pra pegar umas dicas. Sabe qual foi a melhor dica que ela me deu? “Não volte desesperada para procurar o primeiro emprego que aparecer na sua frente. Dê tempo ao seu corpo para que ele entenda e possa digerir o que aconteceu.” Eu segui a dica dela e foi a melhor coisa que eu fiz.

Voltar pode ser legal

Acredite, voltar é bem menos assustador do que você imagina. Vamos escrever aqui diferentes posts sobre o tema da volta, não deixe de ler. Até aqui passamos quase todas as dicas que você precisa para viver esse sonho. Não espere mais, comece a planejar e sonho fica a cada dia mais empolgante.

Existe alguma dúvida que ainda não conseguimos responder? Então deixe um comentário lá embaixo da página e contribua para melhorarmos o conteúdo. Vamos esclarecer tudo. A sua dúvida pode ser a dúvida de outros viajantes. Colabore!

ÚLTIMOS POSTS

Um guia completo para viajar barato pelo mundo

Como ajudamos

Anterior
Próximo

CURTIU? ENTÃO COMPARTILHA

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp